Notícia Cufa 




30/05/2018 - Esporte

Técnico da Taça das Favelas foi ‘Espião da Seleção’ na França e vai mapear zaga francesa para ajudar Neymar e cia.

Treinador da Vila Aliança, Franklin Ferreira, foi para a França assistir à vitória da seleção do país por 2 a 0 sobre a Irlanda, e vai fazer um mapeamento que será entregue nas mãos de Neymar

 

Quem conhece e acompanha futebol sabe que a França sempre é uma pedra no sapato do Brasil, quando as duas seleções se enfrentam na Copa do Mundo. Apesar de pentacampeã do mundo, a nossa Seleção coleciona diversas derrotas e frustrações em disputas contra os franceses.

Caso o Brasil cruze mais uma vez o caminho dos franceses nesta Copa, que vai começar daqui a alguns dias na Rússia, a equipe comandada pelo técnico Tite estará mais preparada, e isso se deve a um grande conhecido da Taça das Favelas. Franklin Ferreira, técnico da Vila Aliança, favela campeã do torneio organizado pela Central Única das Favelas (CUFA) no ano passado e vice neste ano.

Franklin foi um dos quatro escolhidos, dentro de um processo seletivo com 51.247 candidatos, para ser um Espião da Seleção, campanha realizada pela Gol. A missão recebida pelo técnico da Vila Aliança foi fazer um mapeamento da defesa francesa, que será entregue nas mãos de ninguém menos que Neymar, craque da Seleção Brasileira.

Franklin, então, foi ao Stade de France, estádio onde a França venceu o Brasil por 3 a 0 na final da Copa do Mundo de 1998, para assistir à vitória da seleção da casa por 2 a 0 sobre a Irlanda. O líder do projeto Craques da Vida, na Vila Aliança, estava à caráter como um torcedor francês, porém atento a cada movimento da linha defensiva francesa, para passar as informações a Neymar e a comissão técnica de Tite.

“Foi uma experiência incrível! Poder conhecer pessoas, e falar um pouco dos meus projetos aqui no Rio, contando para elas sobre como é a Taça”, disse Franklin. “Agora é continuar trabalhando para detalhar, da melhor maneira possível, os caminhos que Neymar e outros jogadores devem fazer para passar por essa zaga francesa, se enfrentarmos a seleção deles”, completou.

O mapeamento que Franklin está desenvolvendo ainda não pode ser revelado, mas o técnico campeão da Taça das Favelas de 2017, revelou que nele vai ter um pouco do “nosso jeito”. No trabalho que será entregue, Franklin vai incentivar que os jogadores brasileiros usem o estilo do jogo de futebol de várzea e a “essência favela”.

“A defesa da França é bem postada, mas se o Neymar jogar no estilo dele, e do garoto brasileiro em geral, os franceses não vão resistir ao nosso futebol moleque”, projetou o um dos Espiões da Seleção.

O Brasil não vence a França, em Copas do Mundo, desde 1958, quando o time que contava com Pelé e Garrincha goleou por 5 a 2 na semifinal daquela Copa, na Suécia. De lá pra cá, foram três doídas eliminações para os europeus. Sabemos que se o Brasil, então, quebrar esse tabu de 60 anos, além de Tite, Neymar, Gabriel Jesus e cia., a vitória também terá sido construída pela Taça das Favelas e por toda a família CUFA.







CUFA 2018 - Central Única das Favelas. Todos os direitos reservados.
Para entrar em contato conosco: midia@cufa.org.br