• Social
  • Começou, no último final de semana, dias 14 e 15 de dezembro, em todo o Brasil, a grande pesquisa sobre as favelas

A pesquisa que vai revelar o Sonho da Favela 2020, entre outros dados e curiosidades sobre este território, começou a ser realizada, no último final de semana, dos dias 14 e 15 de dezembro. O resultado da pesquisa será divulgado para o público e para a imprensa no dia 30 de dezembro, segunda-feira. 

 

O trabalho está sendo desenvolvido pelos institutos Data Favela e Locomotiva. O Instituto Data Favela é o primeiro especializado em favelas e cobre todo o país. É fruto de uma parceria entre Celso Athayde, fundador da Central Única das Favelas (CUFA) e CEO da Favela Holding, e Renato Meireles, presidente do Instituto Locomotiva e o especialista mais importante sobre pesquisas nas classes C, D e E.   

 

No sábado, os pesquisadores, que são moradores de favela, receberam um treinamento do próprio Renato Meirelles, na Favela de Heliópolis, em São Paulo. Os de outros estados tiveram treinamentos ao longo de novembro, com outros técnicos dos institutos ou online. 

 

“Como eu disse, os moradores de favela que estão sendo os protagonistas da elaboração da pesquisa. Este treinamento foi muito importante, e agora eles já estão aplicando o que aprenderam nas favelas e periferias”, explicou Renato Meirelles.

 

“Estamos na rua! Demos o start nesse trabalho tão importante, após uma grande preparação que contou com longas reuniões. Agora é colher os dados, analisá-los e, no dia 30 de dezembro, mostrarmos para todo o Brasil qual é Sonho da Favela para 2020”, comemorou Celso Athayde.

 

Entre o sábado e o domingo, os pesquisadores estiveram em dezenas de favelas brasileiras, ouvindo de seus moradores quais são os seus sonhos e planos para 2020, sob a coordenação in loco de Renato Meirelles, Celso Athayde e Leo Ribeiro , Até o dia 22, mais algumas dezenas de favelas serão objeto desta pesquisa.

 

Leo Ribeiro é presidente da Comunidade Door, maior empresa de instalação de outdoors em favelas do mundo, que também é parceira do projeto. Para ele, a pesquisa terá uma grande importância para o mercado.

 

“Com Celso Athayde e Renato Meirelles pilotando esse projeto pessoalmente, é claro que transborda credibilidade. Para nós, da Comunidade Door, é sempre um aprendizado novo. O Brasil é quem ganha com isso", Leo Ribeiro.